Ambientes públicos e espaços de convivência

 

espacos-publicos-02

Imagem do site HUMA

O ser humano foi criado para as relações interpessoais. Desde o princípio da vida em comunidade ele busca lugares para se socializar, e já nos primórdios se reunia em cavernas ao redor do fogo, onde podia estar abrigado do perigo e contar suas aventuras aos demais. Isso pode ser confirmado pelas descobertas arqueológicas e as muitas evidências de pinturas rupestres, ou seja, formas de expressão artística pré-histórica, encontradas em paredes, tetos e outras superfícies das cavernas e abrigos rochosos. Nestes ambientes, o ser humano aprendeu a conviver e compartilhar experiências. Surgiram noções dos espaços de convivência, assim como as regras para se viver em sociedade.

No decorrer do tempo, o homem se tornou mais confiante e passou a ser mais “outdoor”, foi quando as comunidades começaram a se reunir também em ambientes abertos. Em cada momento da história ele encontrou locais para se reunir e fazer parte de um grupo com o qual tenha afinidades e pontos em comum. Os espaços públicos foram palcos do desenvolvimento cultural, legislativo, filosófico e científico das primeiras civilizações, como por exemplo a “heliaia, eclésia, ou ágora”, locais de encontros dos cidadãos ao ar livre na antiga Grécia. Estes locais se tornaram um marco do estabelecimento do espaço urbano, e alguns afirmam que a ágora era a expressão máxima da esfera pública na paisagem urbanística grega, pois eram espaços públicos por excelência, palco da história, onde floresceu a cultura, a política e a vida social desta civilização.

arte-grega-14-638

Porém, hoje vivemos tempos de modernidade, de conexão virtual, de relacionamentos à distância. A vida nas grandes cidades parece afastar as pessoas de relacionamentos e o homem novamente retorna a lugares internos e protegidos. A marginalização nos centros urbanos e o crescimento da violência gerou um sentimento de insegurança e medo, levando o homem a se esconder em suas cavernas. Atualmente em muitas cidades do Brasil, o espaço de convivência se tornou “indoor”, uma vez que centros comerciais e clubes são os mais procurados para encontros, devido à segurança e facilidade de acesso a comodidades, como estacionamento, alimentação, entretenimento e comércio.

espacos-publicos-01

Imagem do Pinterest

Mas, e se nossas cidades oferecessem ambientes públicos ao ar livre, onde o cidadão teria segurança e comodidades, como banheiros e estruturas de lazer e esporte? Em algumas cidades da Europa isso já é realidade, e em muitas cidades do Brasil projetos parecidos estão sendo implantados, para que o cidadão desfrute do bem público, utilize as praças e parques, esteja em contato com a natureza, possa compartilhar experiências e ter seu entretenimento ao ar livre. Existem muitas cidades que poderiam servir de exemplo para implantar projetos de revitalização dos espaços públicos, para que se possa retomar os espaços de convivência ao ar livre e trazer o ser humano novamente ao ambiente externo.

dsc06998

Jardin du Luxembourg, Paris – França (foto tirada em 2014)

Este artigo é parte de um estudo que busca conhecer a situação atual das praças e parques públicos das nossas cidades, e se analisar se realmente são estruturas que aproximam as pessoas, se atualmente cumprem sua função de espaços de convivência, assim como encontrar exemplos de cidades que poderiam ser modelos para novos projetos de revitalização. A urbanização é inevitável, segundo Jeffrey Sachs, em alguns anos a maioria da população do planeta estará vivendo em cidades. Por isso as cidades do futuro deverão ser cidades sustentáveis, o espaço urbano precisa ser repensado para que seja adequado às necessidades dos cidadãos. Devemos buscar construir juntos a cidade que nós queremos, que une pessoas e meio ambiente, que respeita as interconexões do ser humano com a natureza, que abre caminho para a convivência e uso sustentável do espaço público.

dsc07866

Hyde Park, Londres – Reino Unido (foto tirada em 2014)

Texto de: SANTOS, S.L.O. (Sílvia Santos)

Fontes:

Wikipedia.org

Imagens retiradas do Google imagens e Pinterest

https://esbocosfilosoficos.com/tag/grecia-antiga

http://pt.slideshare.net/entrecores/arte-grega-21547131 (imagem)

https://www.youtube.com/watch?v=hTI5OWiz22w – O que é uma Ágora

http://www.huma.net.br/o-morador-e-cidadao/pela-troca/

http://www.huma.net.br/dialogos-da-huma/por-cidades-mais-livres/

SACHS, Jeffrey D. The Age of Sustainable Development. New York: Columbia University Press, 2015.

Dicas para viagem: como organizar sua mala e não esquecer nada! – Parte 2

Olá amigos viajantes!

Esta semana foi votada e aprovada pela Anac a nova regulamentação do setor aéreo, que entre outras mudanças, eliminou a franquia obrigatória de bagagens despachadas para voos nacionais e internacionais. Ou seja, para despachar suas malas os passageiros terão que pagar. Uma das notícias boas destas mudanças é que aumentou o limite de peso da bagagem de mão, de 5 kg para 10 kg. Estas medidas entrarão em vigor em 2017, mas apenas para passagens compradas a partir de 14/03/2017. (Informações no site do Melhores Destinos – link abaixo)

Diante desta notícia fresquinha, voltamos ao nosso artigo para continuar com nossas dicas de como fazer as malas, e já vou adiantando que elas vão te ajudar muito a fugir da fila para despachar malas e economizar. Vamos aprender a cantar e viver como o Balu e o Mogli: “Necessário, necessário, o extraordinário é demais pra mim…”.

Parte 2:

5 – Cuidado com os líquidos, para viagens em avião há restrições e regras bem específicas, afinal você não quer jogar fora aquele seu perfume ou shampoo “super caro”, né? (Estou dando esta dica pois já aconteceu comigo, eu estava com frascos de 100ml, que comprei especificamente para viajar, e só porque não estavam com identificação de conteúdo tive que jogar tudo fora, cheguei na Argentina sem Shampoo, Condicionador, creme hidratante, sabonete líquido…enfim, jogaram tudo fora ><).

O limite é 100ml para cada frasco, não pode passar de 1 litro no total e tem o limite de apenas uma embalagem por pessoa. Devem estar em uma embalagem que possa ser lacrada, que seja transparente e alguns aeroportos exigem que no frasco tenha especificado a quantidade que pode conter a embalagem . Também lembre de levar esta embalagem na bagagem de mão (bolsa, mochila), para não ter que abrir sua mala para retirar a embalagem.

bagagem-de-mao-3

“Todos os líquidos transportados têm de estar guardados nos respectivos recipientes inferiores a 100ml. Todos os líquidos devem ser transportados num único saco de plástico, transparente e re-selável, com as medidas máximas de 20cm x 20cm e capacidade total até 1 litro. Tem de conseguir fechar completamente o saco de plástico e guardá-lo na sua bagagem de mão. O saco dos líquidos tem de ser removido da bagagem de mão para passar separadamente pelo controle de segurança. ” (Website da Ryanair)

restricoes-bagagem-de-mao-voos-internacionais

6 – Geralmente ficamos em apartamentos, hostel ou studios, pois devido às restrições alimentares ficar em hotel não é uma boa opção para nós. Acaba sendo bem mais econômico e nos sentimos mais “moradores” e não muito “turistas”. Sendo assim, costumo lavar roupa ao chegar do passeio, isso ajuda a diminuir a quantidade de camisetas e roupa íntima da mala, pois enquanto usa a roupa seca e limpa, a usada e lavada já está secando para você usar novamente. Minha dica é levar um pouco de sabão líquido em um recipiente de até 100ml, ou você pode comprar no local. Porém, se for ficar poucos dias, será um custo desnecessário, pois não vai usar uma embalagem inteira, então a dica para economizar e viajar leve é: tenha seu próprio sabão na mala e lave as peças de roupas pequenas.

7 – Qual a melhor forma de dobrar? Como não amassar roupa social? Existem algumas formas bem eficientes de levar sua roupa sem amassar, uma delas é fazer rolinhos (procure vídeos na internet para entender a técnica), ou levar já passada e dobrar o mínimo possível como demonstrado nas imagens a seguir:

mala-de-viagem-1

mala-de-viagem-2

Já fiz em rolinhos e também costumo levar dobrada em sacos com zíper, aqueles que usamos para separar as roupas na máquina, que neste caso são úteis para separar as roupas limpas das usadas na volta para casa.

8 – Separar os sapatos e colocar os pares de meia dentro. Eu costumo colocar em sacolinhas de corrida, mas você pode usar sacolas plásticas, sacos de TNT (aqueles usados para presentes), enfim, apenas lembre-se de separar para não sujar suas coisas na volta para casa. E colocar as meias dentro do sapato ajudam a não deformar e também a economizar espaço. Eu também separo em saquinhos as roupas íntimas, fazendo isso você não passa constrangimento caso a imigração decida abrir sua mala… rsrsrs (já aconteceu comigo, mas minhas roupas íntimas estavam guardadas direitinho).

screenshot_2016-11-08-08-10-09-1

9 – Tenha uma pasta, pode ser de plástico ou outro material, desde que seja resistente e proteja bem todos os documentos necessários para apresentar ao oficial da imigração. Essa pasta deve estar na sua bagagem de mão, em local de fácil acesso. Assim você estará preparado caso solicitem em qualquer momento da viagem.

Aqui neste artigo temos algumas imagens, mas você pode buscar vídeos explicativos que vão te ajudar bastante. Caso tenha outras dicas e queira compartilhar, pode postar aqui nos comentários, afinal somos enriquecidos trocando informações.

Links úteis:

http://www.edreams.pt/blog/medidas-e-peso-de-bagagem-por-companhia-aerea/

https://www.ryanair.com/pt/pt/informacao-util/centro-de-apoio/perguntas-frequentes/Bagagem/Liquidos-na-bagagem-de-mao

 http://www.melhoresdestinos.com.br/bagagem-aviao-anac.html

Imagens:

Retiradas do Google imagens.

Espero que tenham gostado e que as dicas sejam uteis! Até a próxima e boa viagem!

By Silvinha Santos ❤

Dicas para viagem: como organizar sua mala e não esquecer nada! – Parte 1

Olá galerinha linda!!!

Depois de tanto tempo consegui terminar de escrever este post! Faz tempo que comecei a escrever sobre este tema, mas sempre parava e deixava meio de lado quando surgia outra inspiração. Depois que você começa a viajar parece que tem algum “insetinho” que te transmite um vírus, sendo o sintoma mais comum o fato de estar sempre planejando uma viagem, assim que chega de uma já começa a decidir para onde ir na próxima. Afinal é uma sensação maravilhosa, mas essa experiência precisa de um planejamento muito bem feito e estar atento a todos os detalhes, para poder curtir sem moderação sua viagem, senão pode ser “um tiro no pé”, e ao invés de relaxar e descansar, você pode estar comprando dor de cabeça junto com a passagem…

Depois que fui viajar algumas pessoas começaram a me procurar pedindo dicas e ajuda em alguns detalhes, mas percebi que uma coisa sempre é esquecida: a organização da mala! Ela é essencial para o sucesso da sua viagem e deve ser bem organizada. Cada um tem uma preferência e um estilo, mas uma coisa é certa: o básico é a melhor opção. Não exagere no conteúdo da sua mala na ida e lembre que você pode economizar bastante planejando sua mala. (Veja o outro artigo sobre 7 dicas infalíveis para economizar em uma viagem). Quando viajamos, eu e meu esposo levamos apenas mala de mão, isso mesmo, desde que começamos a viajar nunca despachamos mala ou pagamos por excesso de peso. Já ficamos um mês fora, viajando por três países diferentes, e apenas com bagagem de mão. Alguns já me perguntaram como é possível, e vou responder aqui neste artigo, fica atento!

Vamos lá para as dicas: você já decidiu seu destino, a data e o período que vai permanecer, tem um roteiro, um planejamento de passeios e lugares que quer visitar? Tudo isso é muito importante, pois influencia e muito na sua mala e define que tipo de roupa você deve levar. Então:

1 – Comece a pesquisar como vai estar o clima no local durante o período que você estará lá. Isso vai te ajudar a levar roupas apropriadas para a estação, e quem sabe uma ou outra fora do padrão, caso o local tenha fama de mudar de temperatura facilmente. (Se está levando roupas de verão, quem sabe um casaquinho leve, uma roupa de meia estação; se está levando roupas de inverno, pense em levar algo mais confortável e leve, caso esquente um pouco)

2 – Já sabe quais serão seus roteiros? Defina que tipo de locais quer visitar, pesquise antes se há restrições de trajes, por exemplo: alguns restaurantes exigem que o cliente esteja vestido adequadamente, alguns locais públicos não permitem entrada de bermuda e chinelos… Você pode montar na sua mente “looks” para cada dia da viagem, assim te ajuda a saber quantos pares de meia, quantas camisas, quantas calças você precisa.

3 – Minha dica: leve poucas peças em “jeans“, vá vestido de jeans e leve mais uma calça ou bermuda, caso ache necessário, pois esse tecido pesa muito e por ser pouco flexível atrapalha na montagem da mala. Você pode levar roupas em outros tecidos e caso o local esteja frio, faça uso das roupas de proteção térmica, que são bem maleáveis para levar na mala. Isto é muito importante quando o destino é um local frio: aprenda a se vestir em camadas.

4 – Tenha uma lista do que precisa levar, e quando estiver fazendo a mala vá riscando o que já colocou. Não esqueça os itens básicos, e se puder separe em pequenos kits: kit médico, kit higiene, kit eletrônicos, kit maquiagem etc. Lembre-se de colocar os kits na sua bagagem de mão que fica mais próxima de você (mochila ou bolsa pequena), assim caso necessite não vai ter que ficar pegando sua mala toda hora durante a viagem.

kit-viagem2

Essas bolsinhas plásticas são uteis e deixam tudo organizado.

Bem, tem muito mais para compartilhar, então para não cansar, continuamos no próximo post, aguardem! Até a próxima!

By Silvinha Santos

Imagens: Retiradas do Google imagens.

by-silvinha-santos