Receitas de sobremesa sem leite e sem soja

food-allergy

Olá galerinha linda!!!

Faz tempo que não trago receitas novas, a correria está grande, mas aqui estamos para cumprir a promessa que fiz no Instagram, postar a receita do brigadeirão! Bem, o final de ano é a época de comilança, não é mesmo? Só que para intolerantes e alérgicos é uma época complicada, comer na casa da família pode ser perigoso, a celebração pode acabar em dias de recuperação. Por isso andei fazendo novas experimentações de receitas, claro que fiz as consagradas, as que tenho certeza que vai dar certo, mas testei coisas novas e adaptei algumas receitas, e vou compartilhar com vocês. ❤

Eu recebi uma receita “ma-ra-vi-lin-da” da Flávia Machioni, do Lactose não, e fiquei super-master-blaster empolgada, aquela receita da vida, sabe? É de pudim de leite, uma das minhas sobremesas favoritas, que não como há anos, e decidi tentar. Postei essa receita lá no final, caso vocês queiram fazer. Infelizmente a minha tentativa não teve êxito, pois sou alérgica a castanha de caju e tentei substituir com leite de arroz, porém não deu ponto. Mas ficou bem gostoso, com cara de ambrosia, comi tu-di-nho kkkkkkkkkkk  (modo formiga on) Claro que vou tentar de novo, um dia eu chego lá e posto aqui…heheheh 🙂

Porém eu fiquei com muita vontade de comer Brigadeirão, teve no Natal e no Ano Novo e eu não pude nem passar perto dele… #chateada… 😦 Então peguei a receita original, misturei com a receita de pudim da Flávia, fui adaptando “daqui e dali”, e no final não é que deu certo? Sim, matei minha vontade, e foi aprovada aqui em casa, fiz no sábado e não chegou na segunda-feira… Então se joga e seja feliz, porque aqui é #semleite e #semsoja!

Brigadeirão sem proteína do leite

INGREDIENTES

3 ovos

1 1/2 xícara de açúcar demerara

2 xícaras de leite condensado de arroz (fiz bem cremoso, quase um creme, uma xícara de arroz, cozido só na água até ficar bem molinho, bate ainda morno no liquidificador com água fria até ficar um creme – pode colocar um pouco de açúcar demerara para bater)

5 colheres de cacau em pó (verifique se é puro, cuidado ao comprar a granel)

1 colher de margarina BECEL AZUL (a única que não tem leite)

Chocolate granulado DORI (o único que conheço até o momento que não tem proteína do leite)

MODO DE PREPARO

Bata todos os ingredientes no liquidificador, por 5 minutos até obter uma consistência cremosa. Eu bati primeiro os ovos, açúcar e margarina, depois adicionei o leite cremoso e bati por 5 minutos. Despeje a massa em uma forma com furo central untada com margarina. Eu assei no forno normal, a 200º C, durante 40 minutos, sem banho-maria. Você pode também tentar no forno micro-ondas, então coloque em forma própria para micro-ondas, untada com margarina e asse por 10 minutos. Se for forno elétrico fique de olho, acredito que metade do tempo (20 a 25 minutos) é suficiente. Deixe a massa esfriar por 15 minutos e depois leve à geladeira por 1 hora. Desenforme quando estiver bem gelado e confeite com o chocolate granulado.

img_20170107_132740

Não ficou lindo, mas estava muito bom, bem cremoso!!! ❤

Pudim de Leite Vegetal – Receita da Flávia Machioni do Lactose Não

Ingredientes

Pudim

250 ml de leite vegetal

250 ml de creme de castanha de caju (bata 1 xícara de castanha de caju deixada de molho por 8h com 3/4 de xícara de água mineral)

1/3 xícara de açúcar demerara

1 gema

2 ovos

5 gotas de extrato natural de baunilha

Misture em uma panela o leite vegetal e o creme de castanha de caju. Leve ao fogo até que comece a ferver. Desligue e tampe. Em uma tigela, bata a gema, os ovos e o açúcar, até ficar um creme mais claro. Misture ao líquido ainda quente, de maneira rápida e constante, para que cozinhe por inteiro e fique homogêneo, por último adicione o extrato de baunilha e mexa bem. Despeje o líquido na fôrma, por cima do caramelo, e asse em banho-maria. Temperatura do forno deve estar em aproximadamente 180 graus. Asse por 45 minutos.

Caramelo

1/3 xícara de açúcar demerara

1 pitada de sal

Raspas de laranja – opcional

Misture os ingredientes, despeje na forma do pudim. Leve a forma à boca do fogão e deixe caramelizar. Não mexa com colher, caso preciso, mexa a fôrma – com cuidado porque estará bem quente. Espalhe o caramelo na forma.

Para desenformar:

Deixe esfriar completamente, fica mais fácil para não quebrar. Dê uma leve aquecida no fundo da forma para que o caramelo derreta e solte mais fácil.

**

Bem galerinha, é isso, espero que façam estas receitas e gostem do resultado! Compartilhem com seus amigos e familiares, alguém pode precisar muito destas dicas!

Abraços e até a próxima!

Fonte:

http://www.lactosenao.com

 

Anúncios

Gingerbread ou biscoito de gengibre

Olá pessoas,

Quanto tempo não posto receitinha aqui, mas estou de volta com essa bem clássica e fácil para o Natal (e para o ano todo também, por que não?): biscoito de gengibre!

Essa é uma adaptação minha, pois sou alérgica, como alguns sabem, então ela fica bem leve e muito saudável!! Eu adiciono farinha de aveia por causa das fibras e mel para enriquecer a receita nutricionalmente. Você pode colocar castanhas picadas, chocolate meio amargo picado, use sua criatividade e faça a sua adaptação também! ❤

Você pode fazer esses biscoitinhos e enfeitar sua mesa ou dar de presente para seus convidados na ceia de natal, basta colocar em um saquinho com um lacinho bem bonito ou em um vidro enfeitado… Use sua criatividade e crie um presente lindo, gostoso, saudável e personalizado!

Você encontra o gengibre em pó em lojas de produtos naturais e em algumas barracas de feira livre… Não sei se o gengibre ralado fica bom, ainda não tentei, quem tentar faz um comentário aqui ok?

img_20161202_074820

Chazinho da tarde em clima de Natal!!

Gingerbread lacfree

Ingredientes:

1 xícara de amido de milho ou polvilho doce
1 xícara de farinha de arroz
1 xícara de farinha de aveia
2 colheres de chá de fermento em pó
2 colheres de chá de gengibre em pó
2 colheres de chá de canela em pó
1 pitada de sal

1 ovo
1 xícara de açúcar mascavo
2 colheres de sopa de mel
1/2 xícara de óleo de girassol (ou menos)

Modo de preparo

Junte todos os ingredientes secos em uma tigela ou bacia, reserve. Bata separado o ovo, o açúcar, o mel e o óleo (eu bato no liquidificador). Depois junte aos ingredientes secos e misture bem com uma colher. Depois trabalhe a massa com a ponta dos dedos até obter uma consistência firme (pode acrescentar mais farinha para ela ficar no ponto de soltar das mãos).
Sobre uma superfície lisa polvilhada com farinha, abra a massa até deixar bem fina (eu uso rolo de massa, mas pode usar uma garrafa para ajudar a abrir a massa) e corte na forma que desejar. (dica: pode usar cortador, fazer a mão ou usar uma tampa redonda para ajudar a fazer o formato.)
Pré-aqueça o forno em temperatura baixa ou moderada (160° C a 180º C), coloque os biscoitos em uma assadeira untada e leve para assar até dourar, os biscoitos assam bem rápido, então fique de olho. Eu aconselho a virar depois de dez minutos e depois deixar por mais dez minutos, mas isso também depende do seu forno.

Até a próxima, feliz Natal galerinha!!!

See you, merry merry christmas!

img_20161202_104639

Nosso Jack frost envia um “alôzin” pra vocês! ❤

Voltando à atividade!

Hello people! Oie galerinha!

Depois de tanto tempo finalmente me organizei e parei um pouco para escrever no Blog! Estes últimos meses foram uma loucura, mudança de 360° na minha vida e pretendo contar um pouco pra vocês agora: Eu trabalho desde meus 18 anos, ininterruptamente, e quando eu saí do meu emprego, em Outubro de 2015, devo confessar, foi bem estranho! A primeira sensação foi: ufa, férias! Ah, foi uma semana incrível, descansei, ia até a praia quando queria, acordava a hora que queria. Porém essa moleza durou pouco, pois algumas pessoas começaram a pedir que eu fizesse alimentos sem lactose, e assim acabou surgindo a “Dream 2B Fit”, com alguns poucos pedidos, apenas de amigos e familiares.

IMG_20151127_152818

Um momento “pé na areia” da minha fase relax… 🙂

Além disso, nessa época minha amiga descobriu que estava grávida e pouco tempo depois teve a notícia que era uma gestação de risco, o que a levou a ficar afastada de suas funções no trabalho. Ela me pediu ajuda para organizar o chá de bebe, e como eu era uma “recém-desempregada” eu aceitei de pronto, afinal teria algo para ocupar minha cabeça, não ficaria tão parada em casa, e de quebra ia poder ajudar minha amiga a não ficar ociosa naquele momento delicado. Foi quando surgiu a ideia: vamos fazer aula de artesanato! Ah, foi uma empolgação só: amo arte, amo aprender, só o fato de ter um desafio para aprender algo é extremamente estimulante para mim! Começamos a fazer aula de pintura e preparar as peças de decoração para o chá de bebê, quando eu vi estava fazendo peças para vender também, recebi encomendas e fiz até peças para decorar a mesa na ceia de Natal e por aí vai…

IMG_20151118_231155IMG_20160228_151749

Porém, em Dezembro eu lancei nas redes sociais o “Panetone sem glúten e sem lactose”, e aí foi que a Dream 2B Fit começou a crescer. Em Janeiro comecei a preparar refeições saudáveis e sucos funcionais, com foco nas restrições alimentares, mas também atendia quem apenas estava buscando uma alimentação leve, saudável e uma reeducação para perda de peso. Esse mês foi uma loucura, eu acordava cedo, trabalha muito e me alimentava mal, pois eu comprava os ingredientes, fazia as comidas e depois saía correndo de bicicleta, embaixo do sol do verão, muitas vezes sem comer nada, para fazer as entregas das refeições. O resultado: stress mental, imunidade baixa e muitas doenças. Fevereiro foi um mês em que adoeci muito, tive de tudo um pouco e tive que dar uma pausa nesse ritmo, tive que repensar o que estava fazendo e quais eram as minhas prioridades. Em Março voltei às atividades e fizemos muito chocolate sem lactose e bolo sem glúten, fiquei super emocionada com o post de uma mamãe e a foto de uma princesinha super feliz! Ah, aquele momento em que você descobre o seu IKIGAI! ❤

IMG_20160309_072747

linha de páscoa infantil 2016cesta de páscoa 1

Hoje eu olho pra trás e vejo que poderia ter planejado melhor, poderia ter começado certo, mas essa experiência foi muito importante para mim. Ser microempreendedor não é fácil, ainda mais quando buscamos a sustentabilidade do negócio e queremos fazer tudo com qualidade. As empresas que estão no mercado não começaram da noite pro dia, tenho certeza que passaram por fases bem mais complicadas que eu, mas tudo fica como aprendizado. Eu fiz muitos cursos culinários e aprendi coisas novas, que somaram muito para minha vida pessoal. Hoje mudei a forma de atender aos pedidos, e não volto atrás, pois foram decisões importantes para manter o meu negócio e a minha saúde. Estou com outros projetos em vista, mas como uma boa ‘jack-of-all-trades’ (maria-faz-tudo), eu consigo lidar bem com diferentes atividades em diferentes áreas, e tudo ao mesmo tempo!  🙂

IMG_20160407_154531

Não comparo minha experiência com a de ninguém, nem estou aqui para copiar ninguém, mas é claro que muitas pessoas foram inspiração para mim neste tempo, a Flávia do Lactose Não, a Elaine do Soar, a Tatiane do Organize e Harmonize, a culinarista Cristiane Valdez, entre outras pessoas, que com certeza foram exemplos para mim e me ajudaram muito a descobrir a minha missão e o que tudo o que eu estava passando com a descoberta da intolerância poderia trazer de benefício para outras pessoas! Sim, eu chorei muito, eu sofri preconceito (e ainda sofro) e fui excluída muitas vezes (e ainda sou), mas hoje eu só tenho a agradecer a Deus por todo este aprendizado e esta grande oportunidade de crescer como pessoa e como profissional! Que venham novos desafios, pois minha mente tem sede de aprender! ❤

Até a próxima! Bye!

Silvinha Santos

Dream 2B Fit FINAL 01

Dicas para viagem: Alimentação para quem tem restrições alimentares!

Olá galera linda!!!

Faz tempo que queria escrever sobre isso, e depois de tanto tempo finalmente consegui parar para escrever esse post! Eu descobri a intolerância à lactose em 2014, o ano que fiz a primeira viagem de avião com meu esposo.

Eram tantas coisas para planejar e pensar, foi um planejamento de um ano pra nossa viagem, mas na época ainda não sabia muito sobre as intolerâncias e alergias alimentares, ainda estava conhecendo como meu corpo respondia à tudo isso. Claro que esqueci de escolher um menu sem lactose no momento da compra do voo, só pensei nisso depois, bem depois! E como fomos para Londres, foram “apenas” 16 horas dentro do avião, e a alimentação que recebi foi normal, igual à do meu esposo. “Marinheira de primeira viagem”, ou viajante de primeiro vôo, sofremos um pouco, não somente com relação à alimentação, mas também com relação à rinite alérgica, que ficou atacada e acabou com minhas narinas (ficaram bem machucadas por dentro…)! Na época, antes de viajar eu pedi um conselho pra minha Nutricionista, que indicou enzima lactase para diminuir as reações, a qual eu usei em todas as refeições e o que realmente ajudou, porém não tirou os efeitos por completo, no voo de volta passei muito mal, e foi uma péssima experiência.

Em 2015 fizemos diferente, nas nossas férias deste ano, quando fomos comprar o vôo, já logo pedi para meu esposo: “quero um menu sem lactose, por favor!”. Hoje em dia eu já sei que além da intolerância à lactose, também tenho alergia à proteína do leite, ou seja, a enzima lactase não é suficiente, eu tenho que me abster totalmente de leite, mes-mooo! Nosso voo foi pela Alitalia, e gostei bastante do atendimento e das refeições: além de ser sem
lactose, era sem glúten também! O café da manhã e o lanche na madrugada foi um pão especial, sem glúten. Tudo bem saudável e que me trouxe bastante saciedade, além disso o gosto estava muito bom! Há quem não goste de comida de avião, e ache parecida com a de hospital, mas isso é intriga gente, a comida estava bem feita e gostosa! rsrs… 🙂

Tirei algumas fotos para compartilhar com vocês:

IMG_20150811_002855

Café da manhã

IMG_20150810_163617

Janta

O problema mesmo foi no aeroporto, foi complicado achar algum restaurante para comer que não tivesse lactose, infelizmente tive que fazer o uso da enzima, e tive um pouco de reação na ida para Roma, fiquei bem inchada e com dores abdominais, coisa horrível de acontecer quando você está em um avião, não via a hora de chegar e tomar um banho, deitar na cama… Por isso a minha dica: se for muito cedo para o aeroporto e tiver como levar sua própria refeição, faça isso, você vai economizar e garantir uma viagem tranquila. Na volta eu fiz isso, levei uma salada de macarrão para comer antes de embarcar, tive um retorno super tranquilo, já que no avião a comida era toda especial.

A vida é assim, vivendo e aprendendo, mas já que a gente foi na frente e sofreu um pouco, você pode aprender com nossos erros e fazer tudo direitinho pra curtir uma viagem tranquila! Eu sigo a Flávia, do Lactose Não, e aqui está um resuminho do que evitar quando for comer fora, achei bem interessante e estou compartilhando com vocês:

O que comer fora de casa

Achei o resumo muito útil e interessante, pois é exatamente assim que eu me comporto quando estou fora. É claro que não é fácil gente, mas assim como “o crime não compensa”, geralmente as reações alérgicas realmente não compensam um curto momento de prazer gastronômico. É necessário mudar o significado da comida, entender o porquê você come, para conseguir vencer às tentações e “gordices” deste mundão aí… rsrsrs

Espero que sejam dicas úteis e que você tenha gostado, se gostou curte e compartilha com seus amigos, informação é valiosa e pode ajudar muita gente que precisa! ❤

Até a próxima! 😉

Bye!

Fonte imagem: <http://www.lactosenao.com/dicas-sem-lactose/comer-fora-de-casa-intolerancia-lactose/&gt;