Como renovar uma mobília com papel adesivo

Olá galera!!!

Faz um tempo que não faço um post sobre decoração e organização, então aí vai, e o nosso tema de hoje: como repaginar ou reformar um móvel com papel adesivo. Sim, sim, é totalmente possível e fica “maravilindo”…. hehehe 🙂 Bem, se colocar no site Pinterest com certeza você vai encontrar muitas dicas e ideias, e você pode usar o papel adesivo até como papel de parede! Ainda não testei aqui em casa, mas ainda saio da vontade e realizo este projeto…rsrsrsrs

Chega de papo, vamos para o que interessa! Aqui vou colocar umas fotos de um móvel para aquário. Nós ganhamos este móvel de nossos amigos, porém ele precisava de uma boa reforma. A princípio pensamos em pintar, lixamos, meu esposo até usou massa de carpinteiro para cobrir algumas falhas na madeira, mas aí surgiu a ideia: e se forrar com papel contact? Será que dá certo? Olhamos na internet, vimos algumas ideias, e pronto, decidimos fazer! Não foi fácil, mas o fato da peça estar lixada contribuiu e muito! Então a dica é: se for de madeira pode lixar suavemente, para que o papel adesivo cole melhor. Já forrei uma geladeira também, foi um pouco mais complicado, a minha dica é fazer com ela desligada e bem seca por fora, quando fiz a geladeira estava suando e atrapalhou um pouco a fixação do papel, criou rugas e bolhas. O principal é ter paciência, ir soltando o papel aos poucos, sempre passando um paninho ou a mão mesmo, para evitar rugas e bolhas. Vamos às fotos? (São antigas galera, acredito que fizemos essa reforma em 2012)

Este slideshow necessita de JavaScript.

Agora escolha sua cor preferida e se joga no papel adesivo!

Bye! Até a próxima!

Silvinha Santos

Aprender e ensinar: minha motivação interior

O que motiva as pessoas? O que faz alguém prosseguir mesmo em situações adversas? Os seres vivos são intrigantes, são motivados por diversas coisas, desde as mais básicas, até as mais complexas. Não vou entrar em detalhes das teorias motivacionais, nem trazer dados demográficos ou científicos, afinal estou escrevendo por hobbie neste momento. O que eu realmente quero compartilhar aqui é que todos nós de tempos em tempos devemos parar e refletir: o que tem me motivado a continuar até aqui? Quais são os meus valores? Quais são minhas prioridades? O que me moveu no passado? Por que mudei meu trajeto ou porque me mantive nesta rota? Sim, são muitas questões, e são questões profundas que devem te fazer mergulhar dentro de si mesmo. Eu acredito que ninguém motiva ninguém, acredito que podemos prover um ambiente favorável para que alguém encontre dentro de si a força motriz para levantar todo dia cheio de ânimo para enfrentar mais um dia, e fazer seu melhor do amanhecer até o deitar. Acredito que podemos ajudar a fazer brotar algo de bom dentro das pessoas, mas elas só deixarão fluir se dentro de si estiverem conscientes de suas forças e suas habilidades.

IMG_20160624_092328

O mundo está esperando por nós para descobrir quem nós somos…

Por que tanto conceito motivacional? Bem, tenho estudado um pouco sobre isso e quero compartilhar o que tenho descoberto sobre mim mesma, pois estou sempre me descobrindo, sempre conhecendo algo novo em mim (é quando eu olho pra dentro e digo: “hey, quem é você, estava aqui há muito tempo?”). Parei para analisar estas coisas e percebi como minha vida sempre esteve ligada à educação, aprendizado e desenvolvimento. Quando eu era criança minha brincadeira favorita era de escola, e gostava de ser a professora, eu estudava até nas férias! Eu tinha uma certeza, queria ser professora! Queria fazer magistério, mas não deu certo, eu não consegui entrar na época certa. Então mudei meu rumo, pois na adolescência minha paixão era literatura e idiomas, era uma leitora compulsiva e autodidata, ratinha de biblioteca e do tipo nerd mesmo, na época eu tinha certeza do que queria fazer: Letras! Depois pensei em Jornalismo também, e até tentei escrever um livro, na verdade era um romance, meio aos moldes de Shakespeare, mas eu não tinha técnica, nem consistência, nem tampouco conhecimento suficiente… Parei e guardei meus manuscritos, que por acaso encontrei esses dias em uma das minhas agendas antigas. (Eu tenho meu primeiro diário, guardo todas as minhas agendas desde os 7 anos, eu sei que é meio Sheldon, mas eu sou nerd mesmo…kkkk) 🙂

Com 18 anos comecei a trabalhar em uma Instituição de Ensino Infantil Municipal, foi um tempo bem difícil, onde achei que tinha morrido meu sonho de continuar a estudar, eu ganhava pouco e não podia pagar uma faculdade particular. Foi tanto estresse emocional na época que meio que criei uma aversão a crianças (pois é, eu ainda não tenho filhos…kkk), não quis fazer pedagogia de jeito nenhum! Estou sendo sincera aqui, mas é claro que durante o tempo que estive lá eu tive experiências maravilhosas também! Eu sempre fui ótima contadora de histórias, e como não tinha muito jeito nem autoridade com as crianças eu contava histórias para atrair a atenção delas. Eu posso me lembrar do dia que fui trabalhar em uma Creche diferente e me avisaram que a turma que eu ia ficar era terrível, então eu pedi uma estratégia para Deus, pois eu sabia que as histórias clássicas não iam adiantar, eu precisava de uma história nova e cativante. Quando entrei na sala eu me apresentei, perguntei o nome deles e depois disse que ia contar uma história. Apaguei a luz e a história veio fluindo, fluindo e quando eu vi eles estavam paralisados e tão atentos que nem piscavam… Ninguém entendeu o que aconteceu naquele dia… Eu contei essa história duas vezes na Creche em que eu trabalhava, na minha turma. Um dia eu pedi para eles contarem uma história, cada dia da semana um amiguinho escolhia e contava uma história, um dia um dos meus alunos começou a contar a minha história, com todos os detalhes e mais alguns que a imaginação dele criou, com todos os sons e interpretação, foi muito emocionante pra mim, naquele dia eu vi o poder da influência que exercemos sobre as pessoas, agora ele era um contador de histórias também… ❤

38ec61e6-1708-46c5-886a-7c93d05a9219-original

Bem, no fim acabei cursando Administração, o que não era muito minha vontade, pois eu nunca curti matemática, porém quando conheci a área de Recursos Humanos, me apaixonei, e achei que tinha “achado meu lugar no Universo” (sabe aquele momento em que sente que tudo foi predestinado, foi isso que senti… 🙂 rsrsrs). Embora eu tenha feito vários cursos, tenha feito pós-graduação em outra área, embora nunca tenha trabalhado profissionalmente na minha área de formação, nunca tenha tido a chance de colocar em prática profissionalmente, mesmo assim, tenho me dedicado a buscar desenvolvimento pessoal, pois aprender me motiva e me faz continuar focada, mas também procuro “empoderar” (ou capacitar) as pessoas ao meu redor, compartilhar o que tenho aprendido, eu busco mostrar suas fortalezas, trazer à tona o que elas tem de melhor, busco ser fonte de inspiração, e quem sabe influenciar positivamente quem está perto de mim. Se tem algo que me mantém firme em meio às dificuldades é isso, saber que posso ser exemplo, que posso aprender e usar o que aprendi para melhorar a vida das pessoas. Se eu partir hoje, vou feliz, sei que inspirei e motivei pessoas, que em tudo o que fiz eu dei sempre o meu melhor, e enquanto eu viver essa força interior, esse desejo de ver pessoas crescendo, florescendo e se desenvolvendo será minha motivação. Pessoas são o tesouro mais valioso de qualquer organização, e as pessoas que tive o prazer de ajudar em algum momento da minha vida são o meu tesouro, são meu melhor investimento. ❤

Bye! Até a próxima!

Silvinha Santos

Quero estudar fora e agora?

studyabroad_landing

Olá! Hello! Salut! Hola! Hallo! Ciao!

Bem, acho que já deu pra perceber que meu blog é bem diversificado, gosto de postar e compartilhar informações úteis. Por isso hoje vou falar um pouco sobre esse tema, mas beeeemmm superficialmente, pois daria para fazer uns cem ‘posts’ apenas sobre este assunto… hehehe 🙂

Muitas pessoas tem o sonho de estudar fora, fazer um intercâmbio em outro país, aí vão até uma agência olham o preço dos pacotes e desistem por achar que nunca terão condições financeiras para isso. Por que eu sei disso? Porque quando eu tinha 15 anos eu mesma fiz isso, fui com uma amiga até uma agência de viagens me informar, na época eu só tinha o sonho e mais nada, e quando vi os valores foi um tremendo balde de água fria pra mim 😦 … Eu guardei aquele folheto em uma pasta e de vez em quando olhava pra ele, só pra me lembrar que eu nunca seria capaz de fazer aquilo. Sabe, foi muito frustrante para mim, eu enterrei meu sonho por anos…

study-abroad-photo

Hoje eu sei que seria possível, se eu soubesse naquele tempo das oportunidades que eu conheço hoje! E posso garantir que são muitas! Mas são para os corajosos e dedicados, não vá achando que você vai conseguir uma bolsa de estudos no exterior tirando notas baixas no ensino médio, você precisa ser um aluno acima da media! Você não precisa estudar nas melhores escolas, pois hoje a informação e o conhecimento estão ao alcance de todos, afinal nós temos a internet, que é sem dúvida uma poderosa ferramenta no aprendizado a distância. O que você precisa é estar disposto a investir tempo estudando e estar interessado a aprender coisas novas, em diferentes culturas! 😉

Alguns motivos para estudar fora do país: Ajuda a aumentar sua auto-confiança; Aprender sobre suas fraquezas e pontos fortes; Viver uma experiência única  e marcante; Conhecer pessoas de muitas partes do mundo e ganhar cultura e amigos ao mesmo tempo; entre outros…

Study-Abroad-Press-Release-Graphic-02

Algumas dicas para iniciar este projeto:

1 – Primeiramente, estude um idioma, mas não apenas o nível básico, busque fluência e procure fazer testes de proficiência. A maioria dos países vai pedir a proficiência no inglês e os testes mais aceitos são o TOEFL e o IELTS. Veja mais informações e a diferença entre eles nestes links:

http://www.inglesnapontadalingua.com.br/2009/03/toeic-ou-toefl.html

http://www.inglesnapontadalingua.com.br/2014/01/qual-diferenca-entre-toefl-e-ielts.html

o-KID-FOREIGN-LANGUAGE-570

2 – Em segundo lugar está algo muito importante: escolha a área que quer estudar e em qual país preferiria fazer seu intercâmbio. Essa decisão é a mais importante pois vai direcionar sua busca por informações. Quando decidir o que quer fazer e pra onde quer ir você vai encontrar a universidade que tem o curso que escolheu!

3 – Terceiro passo: Com essas informações procure saber os requisitos das universidades que você quer entrar, quais são as bolsas de estudo que elas aceitam e quais os requisitos básicos para aplicar para estas bolsas.

Este projeto é antes de tudo um projeto de pesquisa, você precisa estar bem informado e decidido, ter certeza do que quer, pois só quando estiver determinado vai conseguir ir até o fim, terá persistência para não desistir do seu sonho nos primeiros “nãos” que surgirem! Eu ainda não fiz intercâmbio no exterior, mas continuo sonhando com a minha oportunidade, e acredito de coração que nunca é tarde para viver o sonho de Deus para sua vida! ❤

Screenshot_2015-12-03-07-10-41-1

Se interessou? Então dá uma olhadinha nesses sites e vá em busca do seu sonho!

Bolsas pelo Capes:

http://www.capes.gov.br/bolsas

Outras bolsas:

http://www.cienciasemfronteiras.gov.br/web/csf/home

Bolsas de Estudos

Seis países em que é possível estudar de graça – ou quase

Intercâmbio em Cambridge:

EU FUI: relatos de um intercâmbio em Cambridge – LSI Cambridge

http://oglobo.globo.com/boa-viagem/cambridge-ou-oxford-eis-questao-dos-intercambistas-3741359

Imagens retiradas de:

Google imagens

9 Compelling Reasons Why Students Should Study Abroad

Top Ten Reasons to Study Abroad

Voltando à atividade!

Hello people! Oie galerinha!

Depois de tanto tempo finalmente me organizei e parei um pouco para escrever no Blog! Estes últimos meses foram uma loucura, mudança de 360° na minha vida e pretendo contar um pouco pra vocês agora: Eu trabalho desde meus 18 anos, ininterruptamente, e quando eu saí do meu emprego, em Outubro de 2015, devo confessar, foi bem estranho! A primeira sensação foi: ufa, férias! Ah, foi uma semana incrível, descansei, ia até a praia quando queria, acordava a hora que queria. Porém essa moleza durou pouco, pois algumas pessoas começaram a pedir que eu fizesse alimentos sem lactose, e assim acabou surgindo a “Dream 2B Fit”, com alguns poucos pedidos, apenas de amigos e familiares.

IMG_20151127_152818

Um momento “pé na areia” da minha fase relax… 🙂

Além disso, nessa época minha amiga descobriu que estava grávida e pouco tempo depois teve a notícia que era uma gestação de risco, o que a levou a ficar afastada de suas funções no trabalho. Ela me pediu ajuda para organizar o chá de bebe, e como eu era uma “recém-desempregada” eu aceitei de pronto, afinal teria algo para ocupar minha cabeça, não ficaria tão parada em casa, e de quebra ia poder ajudar minha amiga a não ficar ociosa naquele momento delicado. Foi quando surgiu a ideia: vamos fazer aula de artesanato! Ah, foi uma empolgação só: amo arte, amo aprender, só o fato de ter um desafio para aprender algo é extremamente estimulante para mim! Começamos a fazer aula de pintura e preparar as peças de decoração para o chá de bebê, quando eu vi estava fazendo peças para vender também, recebi encomendas e fiz até peças para decorar a mesa na ceia de Natal e por aí vai…

IMG_20151118_231155IMG_20160228_151749

Porém, em Dezembro eu lancei nas redes sociais o “Panetone sem glúten e sem lactose”, e aí foi que a Dream 2B Fit começou a crescer. Em Janeiro comecei a preparar refeições saudáveis e sucos funcionais, com foco nas restrições alimentares, mas também atendia quem apenas estava buscando uma alimentação leve, saudável e uma reeducação para perda de peso. Esse mês foi uma loucura, eu acordava cedo, trabalha muito e me alimentava mal, pois eu comprava os ingredientes, fazia as comidas e depois saía correndo de bicicleta, embaixo do sol do verão, muitas vezes sem comer nada, para fazer as entregas das refeições. O resultado: stress mental, imunidade baixa e muitas doenças. Fevereiro foi um mês em que adoeci muito, tive de tudo um pouco e tive que dar uma pausa nesse ritmo, tive que repensar o que estava fazendo e quais eram as minhas prioridades. Em Março voltei às atividades e fizemos muito chocolate sem lactose e bolo sem glúten, fiquei super emocionada com o post de uma mamãe e a foto de uma princesinha super feliz! Ah, aquele momento em que você descobre o seu IKIGAI! ❤

IMG_20160309_072747

linha de páscoa infantil 2016cesta de páscoa 1

Hoje eu olho pra trás e vejo que poderia ter planejado melhor, poderia ter começado certo, mas essa experiência foi muito importante para mim. Ser microempreendedor não é fácil, ainda mais quando buscamos a sustentabilidade do negócio e queremos fazer tudo com qualidade. As empresas que estão no mercado não começaram da noite pro dia, tenho certeza que passaram por fases bem mais complicadas que eu, mas tudo fica como aprendizado. Eu fiz muitos cursos culinários e aprendi coisas novas, que somaram muito para minha vida pessoal. Hoje mudei a forma de atender aos pedidos, e não volto atrás, pois foram decisões importantes para manter o meu negócio e a minha saúde. Estou com outros projetos em vista, mas como uma boa ‘jack-of-all-trades’ (maria-faz-tudo), eu consigo lidar bem com diferentes atividades em diferentes áreas, e tudo ao mesmo tempo!  🙂

IMG_20160407_154531

Não comparo minha experiência com a de ninguém, nem estou aqui para copiar ninguém, mas é claro que muitas pessoas foram inspiração para mim neste tempo, a Flávia do Lactose Não, a Elaine do Soar, a Tatiane do Organize e Harmonize, a culinarista Cristiane Valdez, entre outras pessoas, que com certeza foram exemplos para mim e me ajudaram muito a descobrir a minha missão e o que tudo o que eu estava passando com a descoberta da intolerância poderia trazer de benefício para outras pessoas! Sim, eu chorei muito, eu sofri preconceito (e ainda sofro) e fui excluída muitas vezes (e ainda sou), mas hoje eu só tenho a agradecer a Deus por todo este aprendizado e esta grande oportunidade de crescer como pessoa e como profissional! Que venham novos desafios, pois minha mente tem sede de aprender! ❤

Até a próxima! Bye!

Silvinha Santos

Dream 2B Fit FINAL 01

Os números de 2015 do meu Blog

Olá galera, quanto tempo! Hello guys!

O grupo da estatística do WordPress.com preparou um relatório para o ano de 2015 do meu blog, eu curti muito e quero compartilhar com vocês.

Obrigada por terem acompanhado nossos posts, espero melhorar cada vez mais em 2016! Um ano novo de muitas alegrias e conquistas para todos! “I wish for you a happy new year and God bless you all!”

Aqui está um resumo:

Um bonde de São Francisco leva 60 pessoas. Este blog foi visitado cerca de 980 vezes em 2015. Se fosse um bonde, eram precisas 16 viagens para as transportar.

Clique aqui para ver o relatório completo

Criando uma horta em casa

Olá pessoas lindas! Hello people!

Quanto tempo não é mesmo? Bem, a minha vida mudou bastante desde o último post, em outro post eu falo um pouco sobre as novidades que estou vivendo. Neste post quero focar em algo muito importante para nossa saúde e também para a saúde do planeta: alimentar-se com produtos orgânicos! Você pode estar pensando que este papo é coisa de “ecoamigo” ou “vegano”, mas a verdade é que os produtos orgânicos fazem bem a nossa saúde. Se soubéssemos a quantidade de metais pesados e outros produtos químicos que estão presentes em nossas frutas e verduras, os quais não vão sair, nem mesmo com uma boa higienização, e podem trazer inúmeros malefícios, dentre eles o surgimento de diversos tipos de câncer. Se isso estivesse em um rótulo nas frutas e verduras que você compra semanalmente, com certeza ia pensar algumas vezes antes de consumir. É por isso que cada vez mais pessoas estão se voltando para uma alimentação mais natural, orgânica. Porém, infelizmente os orgânicos são realmente mais caros, pois eles demandam de mais cuidado e mais mão de obra, muitas vezes provém de pequenos produtores, que não conseguem baixar seus custos para baratear sua produção.

Então como poderemos ter uma alimentação de qualidade, tendo a certeza que o alimento não está contaminado? Uma das soluções mais em conta é ter uma pequena horta em sua casa! Imagina colher seus alimentos e consumi-los fresquinhos, com a certeza que são naturais e sem agrotóxicos? Eu sei, eu sei, a maioria das pessoas moram em espaços cada vez menores, afinal somos urbanos, temos uma vida corrida, cheia de afazeres e com pouco tempo e espaço. Eu também vivo em uma casa pequena, tenho uma vida super corrida, e mesmo assim continuo cultivando minhas plantas. Que delícia é chegar na primavera e ver sua mini rosa desabrochando, sua orquídea abrindo uma flor que é um espetáculo, seu tomate dando os primeiros frutos, pode tomar um suco de abacaxi com a hortelã do seu quintal… ahhh isso não tem preço gente!!

IMG_20151206_121618-EFFECTS

Meu pé de tomate cereja! ❤

Então hoje eu quero dar umas ideias de como criar sua pequena horta, para você se inspirar e decidir ter uma vida mais saudável. Você pode começar com temperos (alecrim, hortelã, manjericão, pimenta, etc) e depois que pegar prática passar para pequenas hortaliças e assim vai. O importante é começar e manter o foco. Algumas plantinhas não vão resistir, outras vão durar muito pouco, mas não desista, a semeadura é algo que requer paciência para poder colher os frutos e se beneficiar deles. (Isso é em tudo na vida ok?) Eu já tentei fazer com aquelas sementinhas que vendem em saquinhos, e pra mim nunca dá certo, nunca nasce nada, acho que não tenho mão boa para usar semente…rsrssrs…. Mas você pode comprar a mudinha já crescida e ir cultivando ela. Pode usar garrafas PET, latinhas de molho de tomate, vidros de geleia ou conservas…Basta ter uma terra boa, um vasinho e começar sua aventura! Enfim, use sua criatividade! Seja do jeito que escolher, o importante é começar!

As imagens são de sites diversos e muitas foram encontradas no Google search:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Espero que tenha gostado do post e que seja bem útil para você! As ideias são inúmeras e cada uma mais linda que a outra, escolha a que melhor combina com sua casa e seu espaço. Que tenhamos uma vida mais saudável, mais “clean”, mais natural!

Até a próxima, see you!

By Silvinha Santos

Dicas para viagem: Alimentação para quem tem restrições alimentares!

Olá galera linda!!!

Faz tempo que queria escrever sobre isso, e depois de tanto tempo finalmente consegui parar para escrever esse post! Eu descobri a intolerância à lactose em 2014, o ano que fiz a primeira viagem de avião com meu esposo.

Eram tantas coisas para planejar e pensar, foi um planejamento de um ano pra nossa viagem, mas na época ainda não sabia muito sobre as intolerâncias e alergias alimentares, ainda estava conhecendo como meu corpo respondia à tudo isso. Claro que esqueci de escolher um menu sem lactose no momento da compra do voo, só pensei nisso depois, bem depois! E como fomos para Londres, foram “apenas” 16 horas dentro do avião, e a alimentação que recebi foi normal, igual à do meu esposo. “Marinheira de primeira viagem”, ou viajante de primeiro vôo, sofremos um pouco, não somente com relação à alimentação, mas também com relação à rinite alérgica, que ficou atacada e acabou com minhas narinas (ficaram bem machucadas por dentro…)! Na época, antes de viajar eu pedi um conselho pra minha Nutricionista, que indicou enzima lactase para diminuir as reações, a qual eu usei em todas as refeições e o que realmente ajudou, porém não tirou os efeitos por completo, no voo de volta passei muito mal, e foi uma péssima experiência.

Em 2015 fizemos diferente, nas nossas férias deste ano, quando fomos comprar o vôo, já logo pedi para meu esposo: “quero um menu sem lactose, por favor!”. Hoje em dia eu já sei que além da intolerância à lactose, também tenho alergia à proteína do leite, ou seja, a enzima lactase não é suficiente, eu tenho que me abster totalmente de leite, mes-mooo! Nosso voo foi pela Alitalia, e gostei bastante do atendimento e das refeições: além de ser sem
lactose, era sem glúten também! O café da manhã e o lanche na madrugada foi um pão especial, sem glúten. Tudo bem saudável e que me trouxe bastante saciedade, além disso o gosto estava muito bom! Há quem não goste de comida de avião, e ache parecida com a de hospital, mas isso é intriga gente, a comida estava bem feita e gostosa! rsrs… 🙂

Tirei algumas fotos para compartilhar com vocês:

IMG_20150811_002855

Café da manhã

IMG_20150810_163617

Janta

O problema mesmo foi no aeroporto, foi complicado achar algum restaurante para comer que não tivesse lactose, infelizmente tive que fazer o uso da enzima, e tive um pouco de reação na ida para Roma, fiquei bem inchada e com dores abdominais, coisa horrível de acontecer quando você está em um avião, não via a hora de chegar e tomar um banho, deitar na cama… Por isso a minha dica: se for muito cedo para o aeroporto e tiver como levar sua própria refeição, faça isso, você vai economizar e garantir uma viagem tranquila. Na volta eu fiz isso, levei uma salada de macarrão para comer antes de embarcar, tive um retorno super tranquilo, já que no avião a comida era toda especial.

A vida é assim, vivendo e aprendendo, mas já que a gente foi na frente e sofreu um pouco, você pode aprender com nossos erros e fazer tudo direitinho pra curtir uma viagem tranquila! Eu sigo a Flávia, do Lactose Não, e aqui está um resuminho do que evitar quando for comer fora, achei bem interessante e estou compartilhando com vocês:

O que comer fora de casa

Achei o resumo muito útil e interessante, pois é exatamente assim que eu me comporto quando estou fora. É claro que não é fácil gente, mas assim como “o crime não compensa”, geralmente as reações alérgicas realmente não compensam um curto momento de prazer gastronômico. É necessário mudar o significado da comida, entender o porquê você come, para conseguir vencer às tentações e “gordices” deste mundão aí… rsrsrs

Espero que sejam dicas úteis e que você tenha gostado, se gostou curte e compartilha com seus amigos, informação é valiosa e pode ajudar muita gente que precisa! ❤

Até a próxima! 😉

Bye!

Fonte imagem: <http://www.lactosenao.com/dicas-sem-lactose/comer-fora-de-casa-intolerancia-lactose/&gt;

Substituições em receita – como fazer?

Olá pessoas!!

Lendo o site Lactose Não vi esse post que foi uma luz para minhas receitas!! Gente que dicas maravilhosas!!!

Eu costumo pegar uma receita original e adaptar, vou testando até dar certo, depois deste post da Flávia essa tarefa vai ficar muito mais simples!

Compartilhando essa informação tão valiosa:

Uma das dúvidas que mais recebo diariamente: substituições em receita – como fazer? Vem ver as dicas para não errar na próxima receita sem glúten e lactose.

Fonte: Substituições em receita – como fazer?

Como ter cabelos saudáveis

Gente eu demorei para postar, mas agora estou de volta! A vida está bem corrida, nem bem terminei a pós-graduação, já caí num curso EAD de especialização, super-ultra-mega difícil, e aí já viu fiquei #focadanosestudos! Mas como a vida não para, eu organizei melhor o meu tempo e hoje eu quero trazer um tema totalmente diferente dos meus últimos posts: cabelos!!! Sim, eu também me aventuro nestes assuntos…rsrsrs… 🙂

Na verdade, mais por curiosidade e necessidade, afinal eu tenho vários tipos de químicas no meu cabelinho. Como não está fácil para ninguém, estou sempre buscando opções “bbb” para os cabelos. Sim, dá para economizar sem acabar com as madeixas! Assim você adia sua volta ao salão e guarda um dinheirinho para fazer coisas que gosta. Já faz um tempo que passei a usar produtos de “mercado” no cabelo, uso diversas marcas e vou sempre trocando para descobrir qual é melhor. As minhas preferidas são Dove, OX, Phytoervas e Elseve, as quais eu uso o shampoo, condicionador ou máscara. Uma vez ou outra uso Natura, e até mesmo Pantene, mas ainda prefiro as outras marcas. Já usei várias marcas de máscaras de tratamento: Novex, Elseve, Eico, Dove, Salon line, Aussie, Kanechom, Alfaparf, entre outras… ou seja, estou sempre experimentando marcas e produtos diferentes, do barato ao caro… 😉

Eu tenho cabelos crespos e secos por natureza, mas escolhi alisar por necessidade e praticidade. Há alguns anos eu alisava com amônia, mas meu cabelo é bem fino e volumoso, a amônia ressecava bastante. Graças a Deus, a cabeleireira me sugeriu mudar para a Selagem orgânica (provavelmente a base de carbocisteína, ela jura que não tem formol, mas não abre qual é a marca, nem composição), que deixa o cabelo com aparência mais natural e não resseca tanto. De uns tempos para cá, tive que começar a pintar o cabelo, porém eu estava usando o tonalizante sem amônia, que não agride tanto o cabelo que já possui processo químico.

No começo era só de vez em quando, mas ultimamente os cabelos brancos estão me incomodando muito e tenho que tonalizar todo mês!!! Muito chato isso, “gentem”! Aí decidi clarear o cabelo, para disfarçar e ver se conseguia ficar mais tempo sem tonalizar. Fui clareando, usando um tonalizante mais claro que o anterior, com medo de ficar com o cabelo muito estranho. Até que tive uma ideia: “E se eu fizesse umas mechas/luzes para disfarçar esses fios prateados?” Liguei pro salão e quase caí pra trás com o preço!! Então, curiosa que sou, decidi fazer eu mesma!

Gente, pesquisei muito antes ok? Li blogs, sites, comentários de “N” pessoas sobre isso e finalmente tomei coragem: comprei todos os materiais e fiz as mechas!!! Se ficou bom? Não está perfeito, mas o resultado foi um cabelo com algumas mechas mais claras, pois não deixei abrir muito. Porém, contudo, todavia, entretanto…. pessoas lindas, saibam que todo processo que abre as escamas do cabelo agride demais a fibra, sendo assim, com o tempo meu cabelo foi ficando cada vez mais ressecado e com pontas duplas, afinal eu não uso produtos profissionais. De dois em dois meses eu faço botox ou selagem hidratante, porém o cabelo estava bem espigadinho. Ah, é muito difícil esse negócio de manter o cabelo lindo “efeito de salão” pra sempre, né? Olha eu pensava que era, e por isso maltratei muito meu pobre cabelinho, mas agora aprendi vários segredos e meu cabelo está bem melhor, consegui ficar 6 meses sem química de alisamento!!

Então vou compartilhar com vocês aqui algumas dicas e como eu comecei a cuidar melhor do meu cabelo. A primeira coisa foi que eu aprendi a equilibrar o PH do cabelo. Eu nem sabia disso, mas os cabelos tem um PH ácido, e os processos químicos de alisamento e descoloração elevam o pH das madeixas 10, deixando o cabelo péssimo! Para equilibrar é necessário utilizar logo em seguida destes processos químicos algo com PH bem baixo para que o cabelo volte ao seu PH normal. Vi em muitos sites que existem produtos acidificantes específicos para lavagem pós-descoloração, os quais geralmente possuem um PH próximo de 2,5. Mas, se a ordem é economizar, resolvi testar outras opções, e uma delas, já bem conhecida, é o vinagre de maçã.

Pesquisando aqui e ali, encontrei uns truques caseiros com o vinagre, uma delas é a máscara ácida e a outra é a reconstrução ácida, que tem por objetivo selar as cutículas do cabelo após fazer químicas. Para isso você precisa de uma máscara com PH baixo, as indicadas são as máscaras da Novex ou a Rigen da Alfaparf, que possuem pH próximo a 3,5 e não são tão caras. Eu faço esse processo a cada 15 dias meninas e o cabelo fica uma “belezura”!

Vamos para as receitinhas:

RECONSTRUÇÃO ÁCIDA
(Essa reconstrução ácida estabiliza o pH natural do cabelo e devolve o brilho para os fios, danificados por processos químicos, e ajuda a selar as cutículas e restaurar os cabelos porosos.)
Ingredientes:
Shampoo reconstrutor
1/2 copo de vinagre de maçã para 4 copos de água
1 máscara reconstrutora
1 máscara hidratante

mascaras-reconstrutoras

Máscaras Reconstrutoras

mascaras-reconstrutoras

mascaras-hidratantes

Modo de preparação:
Lave os cabelos com o shampoo reconstrutor (duas vezes), enxague e retire todo excesso de água. Aplique nos cabelos a mistura de vinagre e água e deixe agir por 5 minutos, após isso enxague. Aplique uma máscara reconstrutora e deixe agir conforme o fabricante ou no máximo por 10 minutos, enxague. Aplique a máscara hidratante e deixe agir por 10 minutos e enxague. Aplique o condicionador que costuma usar e deixe agir por alguns minutos. Após enxaguar, aplicar novamente a misturinha da água com o vinagre, e enxaguar novamente. Finalize como desejar. (pode usar secador ou deixar secar ao natural)

HIDRATAÇÃO ÁCIDA
Ingredientes:
2 colheres da máscara de sua preferência (pode ser hidratante ou nutritiva)
1 colher de vinagre de maçã
Algumas gotas do óleo de sua preferência

Modo de preparação:
Lave os cabelos com um shampoo transparente, que pode ser antiresíduos ou apenas um shampoo para limpeza mais profunda (tipo para cabelos oleosos), deixe o cabelo bem limpo, porque vai abrir bem as escamas e preparar para receber a hidratação. Misture os produtos, aplique nos cabelos e deixe agir por 10 minutos, pode algo para abafar o cabelo. Após isso enxague bem e finalize como desejar.

Fontes:

Truque para Equilibrar o pH dos Cabelos logo após Descolorir

http://www.cuidadosevaidades.com.br/2014/07/reconstrucao-acida-hidratacao-acida.html

http://www.clubedocabeloecia.com.br/2012/12/descoloracao-cuidados-antes-e-depois.html

Hidratar, nutrir ou reconstruir: como escolher a máscara ideal para seu cabelo

Resenha máscara de hidratação reparação total 5+ da Elseve!

Torta de Limão Sem Lactose

Olá pessoas!

Faz tempo que não posto nada, mas aqui estou eu para trazer mais uma receitinha! Bem, andei fazendo umas experimentações de receitas e uma delas quero compartilhar com vocês. Eu tinha um churrasco para ir esse mês, e eu sabia que não ia ter sobremesa lacfree, então decidi fazer alguma coisa para levar. Meus amigos são minhas cobaias, não tem jeito…. kkkkk 🙂

Eu escolhi a torta de limão, pois ela não é enjoativa e agrada o paladar de fãs de doce e os que não curtem nada muito melado… Eu fiz a torta com alguns produtos sem lactose de uma marca que abraçou a causa dos intolerantes: Piracanjuba! Este não é um publipost, só estou compartilhando com vocês o que eu uso e aprovo!

Bem, a torta foi aprovada, mas na próxima farei algumas modificações, principalmente na massa, pois ficou se esfarelando e virou uma farofa… O que farei na próxima será uma massa mais parecida com a da torta de maçã que eu fiz, acredito que vai dar mais certo. Mas, mesmo esfarelando, todo mundo comeu e “disse” que gostou! Amigos são pra essas coisas….hehehehe ❤

A receita eu fui adaptando “daqui e dali”, mas a que eu segui foi a do site Lactose Não. Além disso fiz uma receita grande, se quiser algo menor faça com metade dos ingredientes, ok? Bora para o que interessa minha gentem:

Torta de Limão Sem Lactose

Massa
2 pacotes de bolacha tipo maizena – confiram antes de comprar se a bolacha não vai leite
3 colheres sopa de margarina Becel (a da tampa azul, as outras tem leite, eu tentei usar óleo de canola, mas não deu muito certo, então vai no creme vegetal mesmo);
1 pacote de gelatina sem sabor

Recheio:

2 caixas de Leite condensado sem lactose
Suco de limão (Eu usei dois limões. Se quiser com menos gosto de limão, coloque apenas 1 limão)

Modo de fazer:
Massa:
Triture a bolacha no liquidificador, bata bastante pra ficar tipo uma farofa. Misture com a margarina e amasse com as mãos até formar uma massa única.
Na forma espalhe a massa de bolacha apertando com os dedos e depois faça furinhos com um garfo na massa para que ela cozinhe por inteiro. Eu usei uma travessa de vidro, e servi na própria travessa, mas você pode colocar naquela de fundo falso e desenformar.
Leve ao forno já pré-aquecido por 10 a 20 minutos para assar.
Após, retire da forma com cuidado e deixe esfriar.

Recheio:
Hidrate a gelatina sem sabor com 1/4 de xícara de água quente e reserve.
No liquidificador, bata o leite condensado e a gelatina hidratada com o suco de limão por alguns minutos.
Despeje o recheio na massa já fria.

Decore ao seu gosto – com raspas de limão, granulado, merengue, nozes, morango, e leve à geladeira até que fique firme.

IMG_20151002_224438

Espero que façam e gostem! Compartilhem com seu amigos e família!

Abraços e até a próxima!

Fonte:
http://www.lactosenao.com/receitas-sem-lactose/torta-de-limao-sem-lactose/