O caminho para o aprendizado: livros x experiências

the-experience-gathered-from-books-though-often-valuableis-but-the-nature-of-learning-whereas-the-experience-gained-from-actual-life-is-of-the-nature-of-s

Imagine este cenário: você vai fazer uma cirurgia cardíaca, o médico entra e diz: “Olá, você pode relaxar e confiar, eu li vários livros sobre esse tipo de cirurgia, tenho certeza de que posso fazer isso”. Você permaneceria calmo e confiaria sua vida na mão deste doutor? O processo de aprendizagem é complexo e exige não só receber o conhecimento dos livros, mas também é importante praticar, aprender com suas próprias experiências.

Enquanto o conhecimento vindo dos livros é mais técnico, receber o conhecimento através da experiência é prático. Quando alguém está aprendendo habilidades profissionais é importante ter uma introdução ao assunto, mas praticar o conhecimento adquirido é fundamental. A suposta cena do início é um bom exemplo, porque no meio profissional a experiência significa confiabilidade. É por isso que estágios e residências são formas eficazes de um aluno colocar em prática seus conhecimentos.

Quando você lê um livro, você recebe várias informações importantes e específicas sobre um determinado assunto. Por outro lado, quando você pratica o que está aprendendo, pode fixar em sua mente toda essa informação. É essencial ter vocabulário profissional, o que é certo que você vai obter através da literatura, mas quando você está na área profissional, você não apenas vai falar sobre um assunto, será necessário que você saiba como fazer.

É importante dizer que os livros são grandes fontes para conhecer como as outras pessoas veem algo, e eles contém muitos exemplos para lhe mostrar um caminho, dar um norte aos estudos. No entanto, quando você aprende com suas próprias experiências, você está construindo seu próprio conhecimento e está criando um novo caminho. Pesquisando em um livro, você vai encontrar diferentes pontos de vista, vários exemplos, grande quantidade de informações essenciais para construir o seu conhecimento. No entanto, tendo suas próprias experiências será mais fácil entender tudo o que você leu.

teoria-x-pratica

O conhecimento adquirido dos livros é técnico, é abundante em detalhes e vocabulário específico, contém conhecimentos e experiências de outros para ilustrar algum ponto de vista, enquanto que o conhecimento adquirido pela experiência é mais prático, ajuda a fixar o aprendizado e trazer novas ideias, e abre um caminho para construir seu próprio rascunho de experiências. Neste ponto, podemos concluir que o conhecimento dos livros é significativo, mas ter sua própria experiência é fundamental para completar o processo de aprendizagem e isso pode reforçar o conhecimento técnico.

“A experiência acumulada nos livros, embora frequentemente valiosa, não é mais do que a natureza do aprendizado, enquanto que a experiência adquirida com a vida real é a natureza da sabedoria” ― Samuel Smiles

The learning path: books x experiences

Imagine this scenario: you are going to do a heart surgery, the doctor enters and says: “Hello, you can relax and trust, I have read several books about this kind of surgery, I am sure that I can do it.” Would you stay calm and trust your life in this doctor hand? The process of learning is complex and demands not only receive knowledge from books, but also it is important to practice and to learn with your own experiences.

While the knowledge from books is more technical, the knowledge from experience is practical. When someone is learning professional skills is important to receive the introduction to the subject, but to practice the skills is fundamental. The supposed scene from the beginning is very common because in the professional field experience means reliability. This is why internships, trainees and residences are effective ways for a student to put their knowledge into practice.

When you read a book, you receive several important and specific information about the subject. On the other hand, when you practice what you are learning you can fix better all that information. It is essential to have professional vocabulary, what is sure you can obtain in literature, but when you are inside the professional area, you are not only going to talk about the issue, you are supposed to know how to do.

It is important to say that books are great fonts to know how other people see something, and they have examples to give you a path. However, when you learn from your own experiences, you are building your own knowledge and you are creating a new path. Researching in a book, you are going to find different points of view, a several samples, huge quantity of essential information to build your knowledge. However, by making experiences on your own, it is easy to understand better all you have read.

The knowledge from books is technical, it is full of details and specific vocabulary and it contains other’s expertise and experiences to illustrate some point of view, while the knowledge from experience is more practical, it helps to fix the learning and to bring new ideas, and it opens a way to build your own draft of experiences. At this point, we can conclude that knowledge from books is significant, but to have your own experience is pivotal to complete the process of learning and this can reinforce the technical knowledge.

A curiosidade no processo de aprendizado

flat,1000x1000,075,f.u1

“Curious and curiouser, saids Alice.” (Curiosa e mais curiosa, disse Alice.)

Essa frase do livro “Alice no País das Maravilhas” ficou ressoando na minha cabeça após ouvi-la duas vezes, em diferentes situações , na mesma semana. Após ler um artigo sobre “como fazer as perguntas certas”, que resumidamente, falava sobre como consultores devem usar questões simples, mas poderosas, para descobrir soluções, eu compreendi algo:
a curiosidade é fundamental para o processo de aprendizado. Talvez, você leitor, já tenha lido ou ouvido isso em algum lugar, mas naquele momento esse ‘insight’ foi totalmente novo para mim. Essa curiosidade no aprendizado é muito importante, uma vez que o nosso sistema de ensino está focado em entregar respostas prontas, conceitos definidos que devem ser decorados, infelizmente, não formamos pensadores.

As instituições de ensino se tornaram monótonas e desinteressantes, um sistema maçante, que gera máquinas de repetir e assinalar a alternativa correta, ou seja, formam alunos que não estão preparados para buscar informações por si e construir conceitos a partir desta busca. Não é de se admirar ou surpreender que nossa produção científica e acadêmica seja tão pequena e de baixa qualidade, como li em um artigo no site da Folha, de Rogério Cezar de Cerqueira Leite, publicado em 2015 (1) e que, segundo algumas pesquisas (2), quase a metade dos universitários no Brasil sejam considerados analfabetos funcionais, ou seja, leem mas não conseguem compreender ou não interpretam corretamente. Sem falar na vergonhosa posição que o Brasil está no ranking de qualidade no ensino (a pesquisa é de 2012, mas a situação não mudou muito atualmente). (3)

Diante de tudo isso, a pergunta é: Qual é o real motivo de escrever este texto? Apenas criticar, falar mal do sistema de ensino do nosso país e bater na mesma tecla? Com certeza isso não vai ajudar, então esse não é meu objetivo aqui, pois críticas vazias não trazem efeitos positivos, não geram mudanças. Sou consciente que este texto por si também não será capaz de levantar uma revolução que mude a educação no país, mas eu creio que o despertar da consciência da necessidade de mudança e a união dos interessados possa realmente fazê-lo. Será necessário vontade política e muita paciência, como Joaquim Azevedo declarou em um artigo para o Diário de Notícias, ainda este ano(4). Então, pode-se
afirmar que o objetivo deste texto é, voltando ao início, aguçar a curiosidade, já que é por meio dela que aprendemos e encontramos soluções. Todos passaram pela infância e a fase dos “por quês”, sendo que alguns eram incansáveis e aprenderam na televisão que “porque sim, não é resposta” (só os mais velhos entenderão!). Ser curioso como as crianças, fazer perguntas simples e partir do pressuposto que ainda não sabemos tudo, são ótimas formas de manter a mente aberta para novas soluções, novas óticas sobre assuntos antigos. E sempre lembrar do antigo filósofo que tão sabiamente declarava: “Sei que nada sei” (Sócrates)… essa é a melhor forma de começar a encontrar novas respostas para antigas questões.

1- <http://www1.folha.uol.com.br/opiniao/2015/01/1570938-rogerio-cezar-de-cerqueira-leite-producao-cientifica-e-lixo-academico-no-brasil.shtml&gt;

2 – <http://g1.globo.com/distrito-federal/videos/v/pesquisador-conclui-que-mais-de-50-dos-universitarios-sao-analfabetos-funcionais/2262537/&gt;

3- <http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/brasil-e-2o-pais-com-pior-nivel-de-aprendizado-diz-estudo&gt;

4 – <http://www.dn.pt/portugal/interior/o-nosso-modelo-escolar-e-do-sec-xviii-e-nao-esta-adaptado-a-realidade-4997445.html&gt;

Aprender e ensinar: minha motivação interior

O que motiva as pessoas? O que faz alguém prosseguir mesmo em situações adversas? Os seres vivos são intrigantes, são motivados por diversas coisas, desde as mais básicas, até as mais complexas. Não vou entrar em detalhes das teorias motivacionais, nem trazer dados demográficos ou científicos, afinal estou escrevendo por hobbie neste momento. O que eu realmente quero compartilhar aqui é que todos nós de tempos em tempos devemos parar e refletir: o que tem me motivado a continuar até aqui? Quais são os meus valores? Quais são minhas prioridades? O que me moveu no passado? Por que mudei meu trajeto ou porque me mantive nesta rota? Sim, são muitas questões, e são questões profundas que devem te fazer mergulhar dentro de si mesmo. Eu acredito que ninguém motiva ninguém, acredito que podemos prover um ambiente favorável para que alguém encontre dentro de si a força motriz para levantar todo dia cheio de ânimo para enfrentar mais um dia, e fazer seu melhor do amanhecer até o deitar. Acredito que podemos ajudar a fazer brotar algo de bom dentro das pessoas, mas elas só deixarão fluir se dentro de si estiverem conscientes de suas forças e suas habilidades.

IMG_20160624_092328

O mundo está esperando por nós para descobrir quem nós somos…

Por que tanto conceito motivacional? Bem, tenho estudado um pouco sobre isso e quero compartilhar o que tenho descoberto sobre mim mesma, pois estou sempre me descobrindo, sempre conhecendo algo novo em mim (é quando eu olho pra dentro e digo: “hey, quem é você, estava aqui há muito tempo?”). Parei para analisar estas coisas e percebi como minha vida sempre esteve ligada à educação, aprendizado e desenvolvimento. Quando eu era criança minha brincadeira favorita era de escola, e gostava de ser a professora, eu estudava até nas férias! Eu tinha uma certeza, queria ser professora! Queria fazer magistério, mas não deu certo, eu não consegui entrar na época certa. Então mudei meu rumo, pois na adolescência minha paixão era literatura e idiomas, era uma leitora compulsiva e autodidata, ratinha de biblioteca e do tipo nerd mesmo, na época eu tinha certeza do que queria fazer: Letras! Depois pensei em Jornalismo também, e até tentei escrever um livro, na verdade era um romance, meio aos moldes de Shakespeare, mas eu não tinha técnica, nem consistência, nem tampouco conhecimento suficiente… Parei e guardei meus manuscritos, que por acaso encontrei esses dias em uma das minhas agendas antigas. (Eu tenho meu primeiro diário, guardo todas as minhas agendas desde os 7 anos, eu sei que é meio Sheldon, mas eu sou nerd mesmo…kkkk) 🙂

Com 18 anos comecei a trabalhar em uma Instituição de Ensino Infantil Municipal, foi um tempo bem difícil, onde achei que tinha morrido meu sonho de continuar a estudar, eu ganhava pouco e não podia pagar uma faculdade particular. Foi tanto estresse emocional na época que meio que criei uma aversão a crianças (pois é, eu ainda não tenho filhos…kkk), não quis fazer pedagogia de jeito nenhum! Estou sendo sincera aqui, mas é claro que durante o tempo que estive lá eu tive experiências maravilhosas também! Eu sempre fui ótima contadora de histórias, e como não tinha muito jeito nem autoridade com as crianças eu contava histórias para atrair a atenção delas. Eu posso me lembrar do dia que fui trabalhar em uma Creche diferente e me avisaram que a turma que eu ia ficar era terrível, então eu pedi uma estratégia para Deus, pois eu sabia que as histórias clássicas não iam adiantar, eu precisava de uma história nova e cativante. Quando entrei na sala eu me apresentei, perguntei o nome deles e depois disse que ia contar uma história. Apaguei a luz e a história veio fluindo, fluindo e quando eu vi eles estavam paralisados e tão atentos que nem piscavam… Ninguém entendeu o que aconteceu naquele dia… Eu contei essa história duas vezes na Creche em que eu trabalhava, na minha turma. Um dia eu pedi para eles contarem uma história, cada dia da semana um amiguinho escolhia e contava uma história, um dia um dos meus alunos começou a contar a minha história, com todos os detalhes e mais alguns que a imaginação dele criou, com todos os sons e interpretação, foi muito emocionante pra mim, naquele dia eu vi o poder da influência que exercemos sobre as pessoas, agora ele era um contador de histórias também… ❤

38ec61e6-1708-46c5-886a-7c93d05a9219-original

Bem, no fim acabei cursando Administração, o que não era muito minha vontade, pois eu nunca curti matemática, porém quando conheci a área de Recursos Humanos, me apaixonei, e achei que tinha “achado meu lugar no Universo” (sabe aquele momento em que sente que tudo foi predestinado, foi isso que senti… 🙂 rsrsrs). Embora eu tenha feito vários cursos, tenha feito pós-graduação em outra área, embora nunca tenha trabalhado profissionalmente na minha área de formação, nunca tenha tido a chance de colocar em prática profissionalmente, mesmo assim, tenho me dedicado a buscar desenvolvimento pessoal, pois aprender me motiva e me faz continuar focada, mas também procuro “empoderar” (ou capacitar) as pessoas ao meu redor, compartilhar o que tenho aprendido, eu busco mostrar suas fortalezas, trazer à tona o que elas tem de melhor, busco ser fonte de inspiração, e quem sabe influenciar positivamente quem está perto de mim. Se tem algo que me mantém firme em meio às dificuldades é isso, saber que posso ser exemplo, que posso aprender e usar o que aprendi para melhorar a vida das pessoas. Se eu partir hoje, vou feliz, sei que inspirei e motivei pessoas, que em tudo o que fiz eu dei sempre o meu melhor, e enquanto eu viver essa força interior, esse desejo de ver pessoas crescendo, florescendo e se desenvolvendo será minha motivação. Pessoas são o tesouro mais valioso de qualquer organização, e as pessoas que tive o prazer de ajudar em algum momento da minha vida são o meu tesouro, são meu melhor investimento. ❤

Bye! Até a próxima!

Silvinha Santos

Quero estudar fora e agora?

studyabroad_landing

Olá! Hello! Salut! Hola! Hallo! Ciao!

Bem, acho que já deu pra perceber que meu blog é bem diversificado, gosto de postar e compartilhar informações úteis. Por isso hoje vou falar um pouco sobre esse tema, mas beeeemmm superficialmente, pois daria para fazer uns cem ‘posts’ apenas sobre este assunto… hehehe 🙂

Muitas pessoas tem o sonho de estudar fora, fazer um intercâmbio em outro país, aí vão até uma agência olham o preço dos pacotes e desistem por achar que nunca terão condições financeiras para isso. Por que eu sei disso? Porque quando eu tinha 15 anos eu mesma fiz isso, fui com uma amiga até uma agência de viagens me informar, na época eu só tinha o sonho e mais nada, e quando vi os valores foi um tremendo balde de água fria pra mim 😦 … Eu guardei aquele folheto em uma pasta e de vez em quando olhava pra ele, só pra me lembrar que eu nunca seria capaz de fazer aquilo. Sabe, foi muito frustrante para mim, eu enterrei meu sonho por anos…

study-abroad-photo

Hoje eu sei que seria possível, se eu soubesse naquele tempo das oportunidades que eu conheço hoje! E posso garantir que são muitas! Mas são para os corajosos e dedicados, não vá achando que você vai conseguir uma bolsa de estudos no exterior tirando notas baixas no ensino médio, você precisa ser um aluno acima da media! Você não precisa estudar nas melhores escolas, pois hoje a informação e o conhecimento estão ao alcance de todos, afinal nós temos a internet, que é sem dúvida uma poderosa ferramenta no aprendizado a distância. O que você precisa é estar disposto a investir tempo estudando e estar interessado a aprender coisas novas, em diferentes culturas! 😉

Alguns motivos para estudar fora do país: Ajuda a aumentar sua auto-confiança; Aprender sobre suas fraquezas e pontos fortes; Viver uma experiência única  e marcante; Conhecer pessoas de muitas partes do mundo e ganhar cultura e amigos ao mesmo tempo; entre outros…

Study-Abroad-Press-Release-Graphic-02

Algumas dicas para iniciar este projeto:

1 – Primeiramente, estude um idioma, mas não apenas o nível básico, busque fluência e procure fazer testes de proficiência. A maioria dos países vai pedir a proficiência no inglês e os testes mais aceitos são o TOEFL e o IELTS. Veja mais informações e a diferença entre eles nestes links:

http://www.inglesnapontadalingua.com.br/2009/03/toeic-ou-toefl.html

http://www.inglesnapontadalingua.com.br/2014/01/qual-diferenca-entre-toefl-e-ielts.html

o-KID-FOREIGN-LANGUAGE-570

2 – Em segundo lugar está algo muito importante: escolha a área que quer estudar e em qual país preferiria fazer seu intercâmbio. Essa decisão é a mais importante pois vai direcionar sua busca por informações. Quando decidir o que quer fazer e pra onde quer ir você vai encontrar a universidade que tem o curso que escolheu!

3 – Terceiro passo: Com essas informações procure saber os requisitos das universidades que você quer entrar, quais são as bolsas de estudo que elas aceitam e quais os requisitos básicos para aplicar para estas bolsas.

Este projeto é antes de tudo um projeto de pesquisa, você precisa estar bem informado e decidido, ter certeza do que quer, pois só quando estiver determinado vai conseguir ir até o fim, terá persistência para não desistir do seu sonho nos primeiros “nãos” que surgirem! Eu ainda não fiz intercâmbio no exterior, mas continuo sonhando com a minha oportunidade, e acredito de coração que nunca é tarde para viver o sonho de Deus para sua vida! ❤

Screenshot_2015-12-03-07-10-41-1

Se interessou? Então dá uma olhadinha nesses sites e vá em busca do seu sonho!

Bolsas pelo Capes:

http://www.capes.gov.br/bolsas

Outras bolsas:

http://www.cienciasemfronteiras.gov.br/web/csf/home

Bolsas de Estudos

Seis países em que é possível estudar de graça – ou quase

Intercâmbio em Cambridge:

EU FUI: relatos de um intercâmbio em Cambridge – LSI Cambridge

http://oglobo.globo.com/boa-viagem/cambridge-ou-oxford-eis-questao-dos-intercambistas-3741359

Imagens retiradas de:

Google imagens

9 Compelling Reasons Why Students Should Study Abroad

Top Ten Reasons to Study Abroad

Voltando à atividade!

Hello people! Oie galerinha!

Depois de tanto tempo finalmente me organizei e parei um pouco para escrever no Blog! Estes últimos meses foram uma loucura, mudança de 360° na minha vida e pretendo contar um pouco pra vocês agora: Eu trabalho desde meus 18 anos, ininterruptamente, e quando eu saí do meu emprego, em Outubro de 2015, devo confessar, foi bem estranho! A primeira sensação foi: ufa, férias! Ah, foi uma semana incrível, descansei, ia até a praia quando queria, acordava a hora que queria. Porém essa moleza durou pouco, pois algumas pessoas começaram a pedir que eu fizesse alimentos sem lactose, e assim acabou surgindo a “Dream 2B Fit”, com alguns poucos pedidos, apenas de amigos e familiares.

IMG_20151127_152818

Um momento “pé na areia” da minha fase relax… 🙂

Além disso, nessa época minha amiga descobriu que estava grávida e pouco tempo depois teve a notícia que era uma gestação de risco, o que a levou a ficar afastada de suas funções no trabalho. Ela me pediu ajuda para organizar o chá de bebe, e como eu era uma “recém-desempregada” eu aceitei de pronto, afinal teria algo para ocupar minha cabeça, não ficaria tão parada em casa, e de quebra ia poder ajudar minha amiga a não ficar ociosa naquele momento delicado. Foi quando surgiu a ideia: vamos fazer aula de artesanato! Ah, foi uma empolgação só: amo arte, amo aprender, só o fato de ter um desafio para aprender algo é extremamente estimulante para mim! Começamos a fazer aula de pintura e preparar as peças de decoração para o chá de bebê, quando eu vi estava fazendo peças para vender também, recebi encomendas e fiz até peças para decorar a mesa na ceia de Natal e por aí vai…

IMG_20151118_231155IMG_20160228_151749

Porém, em Dezembro eu lancei nas redes sociais o “Panetone sem glúten e sem lactose”, e aí foi que a Dream 2B Fit começou a crescer. Em Janeiro comecei a preparar refeições saudáveis e sucos funcionais, com foco nas restrições alimentares, mas também atendia quem apenas estava buscando uma alimentação leve, saudável e uma reeducação para perda de peso. Esse mês foi uma loucura, eu acordava cedo, trabalha muito e me alimentava mal, pois eu comprava os ingredientes, fazia as comidas e depois saía correndo de bicicleta, embaixo do sol do verão, muitas vezes sem comer nada, para fazer as entregas das refeições. O resultado: stress mental, imunidade baixa e muitas doenças. Fevereiro foi um mês em que adoeci muito, tive de tudo um pouco e tive que dar uma pausa nesse ritmo, tive que repensar o que estava fazendo e quais eram as minhas prioridades. Em Março voltei às atividades e fizemos muito chocolate sem lactose e bolo sem glúten, fiquei super emocionada com o post de uma mamãe e a foto de uma princesinha super feliz! Ah, aquele momento em que você descobre o seu IKIGAI! ❤

IMG_20160309_072747

linha de páscoa infantil 2016cesta de páscoa 1

Hoje eu olho pra trás e vejo que poderia ter planejado melhor, poderia ter começado certo, mas essa experiência foi muito importante para mim. Ser microempreendedor não é fácil, ainda mais quando buscamos a sustentabilidade do negócio e queremos fazer tudo com qualidade. As empresas que estão no mercado não começaram da noite pro dia, tenho certeza que passaram por fases bem mais complicadas que eu, mas tudo fica como aprendizado. Eu fiz muitos cursos culinários e aprendi coisas novas, que somaram muito para minha vida pessoal. Hoje mudei a forma de atender aos pedidos, e não volto atrás, pois foram decisões importantes para manter o meu negócio e a minha saúde. Estou com outros projetos em vista, mas como uma boa ‘jack-of-all-trades’ (maria-faz-tudo), eu consigo lidar bem com diferentes atividades em diferentes áreas, e tudo ao mesmo tempo!  🙂

IMG_20160407_154531

Não comparo minha experiência com a de ninguém, nem estou aqui para copiar ninguém, mas é claro que muitas pessoas foram inspiração para mim neste tempo, a Flávia do Lactose Não, a Elaine do Soar, a Tatiane do Organize e Harmonize, a culinarista Cristiane Valdez, entre outras pessoas, que com certeza foram exemplos para mim e me ajudaram muito a descobrir a minha missão e o que tudo o que eu estava passando com a descoberta da intolerância poderia trazer de benefício para outras pessoas! Sim, eu chorei muito, eu sofri preconceito (e ainda sofro) e fui excluída muitas vezes (e ainda sou), mas hoje eu só tenho a agradecer a Deus por todo este aprendizado e esta grande oportunidade de crescer como pessoa e como profissional! Que venham novos desafios, pois minha mente tem sede de aprender! ❤

Até a próxima! Bye!

Silvinha Santos

Dream 2B Fit FINAL 01

Resumo dos Meses de Fevereiro e Março/2015

Olá galera!

Em Novembro de 2014 falei um pouco de como estava minha vida, terminando a fisioterapia, trabalhando, voltando a correr e nadar, fazendo o TCC, enlouquecendo com a rotina, e pensando em parar o curso de Francês… Pois bem, tive que trancar o Francês mesmo e focar no TCC da Pós Graduação, mas não desisti do Francês não, continuei estudando em casa através de um aplicativo, no meu ritmo, sem atrapalhar a pesquisa científica.

IMG_20150311_215941

Bem, Dezembro e Janeiro todos os professores estão de férias, então meu TCC deu uma parada, eu simplesmente não conseguia avançar, pois precisava da resposta da orientadora para enviar o questionário da pesquisa… Enfim, só consegui enviar os questionários a partir de 24/02/15, sendo que meu prazo para finalizar tudo era até fim de Março… começou a maratona TCC!!! Sim, foi um mês intenso e marcado pela ansiedade… Saí da dieta, parei com as atividades físicas, porque tive que focar totalmente na pesquisa: tabulação, formatação, gráfico, apresentação… Eu já não aguentava mais ligar para as ONG’s cobrando o retorno dos questionários! Eu precisava de chocolate e urgente!!!

IMG_20150314_160500

Para quebrar um pouco esta loucura resolvi participar de umas palestras gratuitas, oportunidades que surgiram e que eu não podia deixar de aproveitar. A primeira foi na Clínica Trivitta, em Santos, com as nutricionistas Marianne Fazzi, Giovana Cano, o psicólogo Leonardo Rodrigues e a esteticista Luh Domingos. Foi muito bom e esclarecedor, o assunto foi alimentação saudável e como a ansiedade afeta nossa saúde, convidei algumas amigas para participar e fomos bem impactadas.. Depois fui no Soar Desenvolvimento Humano, com a Tatiana França, da Organize e Harmonize, falando sobre organização de compras e rotinas de alimentação, e a Elaine Lopes, psicóloga da Soar, falando sobre Compulsão Alimentar… Nem preciso dizer que me identifiquei totalmente com alguns sintomas né? Só sei que estas duas palestras abriram meus olhos para algumas coisas que nunca tinha percebido, e a partir delas tive vários insights para novos projetos pessoais e profissionais, tive uma visão de mim mesmo, mas de uma forma diferente e reveladora!

IMG_20150307_142552

Na Clínica Trivitta ao lado das minhas amigas Tatiana e Priscila.

IMG_20150321_192758

Com Tatiana França e Elaine Lopes na palestra da Soar.

 Enfim, no fim de Março finalizei meu TCC e fui muito bem, graças a Deus e seu fortalecimento em minha vida!

 IMG_20150320_001518

IMG_20150327_232532

Apresentando o TCC via Skype, estava muito nervosa…

Renovada com estas palestras, finalizado o TCC, me voltei a uma nova área de estudo: Coaching. Comprei livros, comecei a ler artigos na internet, enfim, minha mente está sempre em busca de novos conhecimentos, e esta área de conhecimento pode ser utilizada de várias formas… Além disso, decidi organizar melhor minha casa, depois da palestra da Tatiana França, descobri que posso ser bem melhor nisso (rsrsrs)… Prateleira para o cantinho “lembranças das viagens”, suporte para o violão do marido, montar o meu “cantinho fitness”, arrumar a despensa e organizar a geladeira, por em ordem o guarda roupa… Ufaa, cansei…heheheheh…. =)

IMG_20150325_210556

São tantas coisas que desejo melhorar, mas aos poucos eu chego lá! Eu sou a Sílvia, 30 anos, casada, cristã compromissada, micro empreendedora, atleta amadora, motivada por novos projetos, e esse foi um resumo destes últimos meses da minha vida! Tantas coisas aconteceram e só posso agradecer a Deus por cada oportunidade.

Abraço a todos e até a próxima!!! ❤

By Silvinha Santos

Como diferenciar though, thought, thorough, through e tough?

images

Hello people!!

Vi este artigo e achei muito útil e interessante, afinal palavras com escrita parecida e fonética semelhante sempre nos confundem, não é mesmo? Então bora compartilhar:

Como diferenciar though, thought, thorough, through e tough?
* Escrito por Rosangela Souza, fundadora e sócia-diretora da Companhia de Idiomas e da ProfCerto

Há alguns anos, muitos executivos pediam que o foco do curso de inglês fosse apenas conversação. Atualmente, embora a comunicação oral ainda seja a habilidade mais desafiadora, a linguagem escrita assume uma importância maior do que tinha no passado.

Emails, blogs, Facebook, Whatsapp, Twitter, Linkedin – muito do que você falava pessoalmente ou por telefone, hoje você escreve. Ali, no celular, entre reuniões, no trânsito, rapidinho, sem pensar muito e sem nenhum tempo para elaborar.

Então, vale a pena estudar para escrever cada vez melhor. Hoje vamos nos concentrar na ortografia de algumas palavras que são parecidas na grafia, mas não no significado.

A pergunta do dia é: Você sabe identificar rapidamente a diferença entre though, thought, thorough, through e tough?

Se ficou em dúvida sobre algumas delas, é hora de estudar as definições mais usuais e alguns exemplos:

1. Though – sinônimo de “in spite of the fact”, ou apesar de

Exemplos:
Though it was raining, we went for a walk.
She did not get the job, though she is very experienced

2. Thought – passado do verbo “to think”, ou o substantivo que significa “ideia”, “conceito”

Exemplos:
I thought you were his wife.
This is the thought behind the plan.

3. Thorough – detalhado, minucioso, completo, amplo

Exemplos:
Congratulations on the thorough report you wrote!
After a thorough search, they finally came to a conclusion.

4. Through – através, por toda a extensão

Exemplos:
You should never go through a red stop sign without stopping.
We are used to working through the night.

5. Tough – forte, durável, que não quebra facilmente, incorrigível, duro

Exemplos:
I guess we need to get tough and talk to them. It is not acceptable.
He´s a tough man.

Dependendo do seu nível de conhecimento, pode ser bem difícil se lembrar da ortografia de cada uma dessas palavras na hora de escrever. Mas se pelo menos você souber que há palavras de grafia muito parecida com a que está escrevendo, vai consultar um site como o dictionary.reference.com ou outros, para checar antes de clicar no “enviar”.

Conhece outras palavras que podem causar confusão na ortografia e no significado? Comente o artigo para complementar o tema.

Retirado de: http://exame.abril.com.br/carreira/noticias/como-diferenciar-though-thought-thorough-through-e-tough

Dicas sobre currículo – texto do Vagas.com

Olá galerinha!!!

Tem gente que exagera demais nos currículos… veja essa dica bem interessante e acerte pra valer no seu!

Currículo: um trailer da sua carreira em 30`
por Maria Clara Whitaker*

Muita gente acha que o currículo é onde você deve contar as experiências da sua vida. Não é verdade. O CV deve ser um trailer de 30 segundos sobre o filme da sua carreira, não um épico de 4 horas que faça o recrutador arrancar os cabelos.

Certa vez, caiu na minha mão um CV de 11 (onze) folhas. Não páginas, veja bem: folhas. Frente e verso. Perguntei se não haviam sido impressos e grampeados, sei lá, 4 CVs diferentes, por engano. Não, era isso mesmo. 11 folhas, 22 páginas.

O currículo fora composto da seguinte forma:
• Página 1: Uma dissertação sobre a visão de universo da pessoa, para “inspirar”[sic] o leitor.
• Página 2: Uma lista das principais qualificações que a pessoa tinha: determinação, liderança, trabalho em equipe, conhecimentos profundos sobre a sua área, Word/Excel/Power Point (***uaaaaaahhh)…
• Página 3: mais qualificações; citações de filósofos gregos.
• Página 4: dados pessoais, como o nome da pessoa, seu endereço completo, todos os telefones imagináveis, CPF, RG, Título de Eleitor, idade, filhos, idade dos filhos, idade da esposa. Sim, tudo isso. E na quarta página, não na primeira.

Da quinta página à décima, era todo um emaranhado de cursos que a pessoa dava na Faculdade Tal e Tal, com um descritivo aula a aula do conteúdo. Em algum momento posterior, desencadeou-se uma infindável descrição de qualquer projeto em todos os trabalhos pelos quais a pessoa havia navegado.

A esta altura do campeonato, claro, o documento havia deixado de cumprir a sua função de aproximar o candidato à vaga, e havia virado um estudo de caso. Aquilo não era um currículo, era um episódio de “Acumuladores”!

O que aprendemos neste post:

Sim, a sua vida é um barato. De verdade. Mas em um CV, eficiência é tudo. A função dele, lembre-se sempre, é instigar a curiosidade do recrutador para que ele te chame para uma entrevista, onde você poderá lhe contar todos os detalhes que fazem de você uma pessoa bacana. O CV é só uma palhinha.

Organize as informações de forma interessante e focada, contendo-as em, no máximo, duas páginas. Mais do que isso, o recrutador não vai ler, e ainda vai pensar que você não sabe priorizar, ou que você se acha a mais deliciosa bolacha do pacote. Ou ambos.

Uma boa dica que damos aos nossos clientes de Power CV é focar nas atividades que você exercia que mais teriam a ver com a vaga em questão. Exponha as informações de forma simples, poupando o recrutador do trabalhão de ter que pescar no texto o que faria de você um bom candidato à vaga, e aumenta as chances de ele te chamar para tomar um café.

Maria Clara Whitaker bota nos trilhos a carreira e a vida das pessoas. Ela é coach e dona da consultoria VITAMINA Coaching e Carreira.

http://www.vagas.com.br/profissoes/oraculo/curriculo-um-trailer-da-sua-carreira-em-30/